BLOG

12 agosto 2016

Você sabia que crianças sofrem de ansiedade? Aprenda a reconhecer os sinais da ansiedade no seu filho

Luciane Udenal

A ansiedade é uma forma de estresse que pode ser experimentada por qualquer pessoa em qualquer momento da vida. É uma reação natural do ser humano, e serve como uma função biológica importante, pois é um sistema de alarme que é ativado sempre que percebemos perigo ou uma ameaça.

Apesar de todos experimentarem em algum momento a ansiedade, quando isso se torna comum e as sensações intensas, a ponto de prejudicar ou interferir nas atividades do dia a dia, isso significa que a ansiedade se tornou patológica.

Veja alguns sinais de ansiedade em crianças:

  • Preocupação excessiva;
  • Não querer se afastar dos cuidadores;
  • Inquietação;
  • Dificuldade para concentrar-se;
  • Irritabilidade;
  • Dores no corpo sem explicação aparente;
  • Evitar situações.

Os transtornos de ansiedade em crianças e jovens são comuns e constituem o maior grupo de problemas de saúde durante a infância.

É muito comum as crianças não falarem como se sentem por medo de não serem compreendidos ou por não conseguirem expressar o que sente.

Você pode ajudar seu filho sendo paciente, ajude ele expressar suas preocupações e procurar soluções para seus problemas.

Estudos feitos nos em Nova York e Nova Zelândia apontam que é muito comum adultos com Transtorno de Ansiedade terem sido crianças ansiosas que não foram tratadas. Observa-se que a ansiedade na infância pode ter um curso sem remissão e persistir na idade adulta. Em alguns casos os sintomas vão se agravando.

Se você perceber que os sintomas descritos acima são persistentes e intensos, consulte um Terapeuta Cognitivo. A Terapia Cognitiva é o tipo de terapia melhor indicada para casos de ansiedade. Junto com a criança o terapeuta irá reconhecer o que causa ansiedade, e buscar o reconhecimento e desenvolvimento de recursos internos de enfrentamento. Vai ajudar a criança a dar o “tamanho” real daquilo que a ameaça. A parceria com os pais é imprescindível para o tratamento dar certo para que eles ajudem a criança a lidar melhor com suas emoções sem intensificar o problema.

Fonte: Ansiedade. Terapia Cognitiva Comportamental para crianças e Jovens. Paul Stallard. Artmed, 2010.